"Os meus olhos são as únicas coisas no mundo capazes de me prender"

 

Pic Taliban 🔫💣💰

Pic Taliban 🔫💣💰

PARTE 1 ( MINHA VIDA )Sabe a vida é uma coisa engraçada né, você simplesmente cai no mundo, passa sua infância inteira brincando e se divertindo e chega uma hora ou outra as pessoas resolvem ti cobrar coisas das quais você nunca foi ensinado a fazer simplesmente por que mudou do 17 pros 18 anos. Você passa todos os dias da sua vida de segunda a sexta frequentando a escola, aprendendo as mais complexas equações, as cadeias de formação quimica, como funciona o corpo humano, a história de nossos antepassados, até a história de algo que nem sabemos que existe aprendemos só por que algum loco um dia acreditou que era verdade. Porem a nossa escola nunca nos ensinou o verdadeiro sentido da vida. Aprendemos que temos que estudar até o terceiro ano do colegial, fazer vestibular, entrar pra uma faculdade boa, pra poder arrumar um bom emprego e ter um excelente salário, pra poder comprar muitas coisas, ter bastante conforto e uma casa muito grande. Assim como vocês e todas as outras pessoas eu cresci aprendendo essas coisas, porem todos temos as nossas vivências que faz com que nos deparemos com inúmeras situações que fazem de nós quem somos, em termos de maturidade, caráter e muitas coisas, e eu acabei vivendo muitas coisas muito cedo, e deixei de viver outras, porem as que vivi me fizeram ver, e amadurecer em certos aspectos muito antes das pessoas normais. Meu primeiro e último ídolo foi o Ayrton Senna, eu o admirava dentro e fora das pistas, e assiti a sua morte ao vivo pela TV, e acompanhei cada minuto do seu enterro, foi horrível, fez com que todas as minhas manhãs de domingo perdessem total sentido, era através dele que eu e meu pai acordávamos cedo pra ver a corrida, colocavamos o volume da TV no último pra ouvir o Galvão Bueno narrar e vermos ele fazer as belas ultrapassagens que só ele sabia fazer. Esse foi o primeiro ensinamento de que me recordo, pois eu perdi meu idolo, tive que arrumar um outro sentido pras minhas manhãs de domingo, e nunca mais acordei cedo pra tomar café com o meu pai e ver a corrida. Depois disso passei a viver problemas familiares internos, que de uma forma torta, me mostraram o certo e o errado, o que se deve ou não fazer com as pessoas que estão próximas a nós, morando em baixo de nossos tetos, e se dedicando dia a dia a nos fazer o bem, por mais que por hora não estivessem fazendo. Ai você começa a se apegar nas coisas menores, começa a se questionar sobre mil coisas, afinal tudo é muito novo, e é dai que vem o aprendizado. Apesar dos problemas que todas as familias tem, eu passei a infância que toda criança deveria passar, tinha os melhores brinquedos, viajava, fazia esportes, conheci paraísos incríveis que até hoje tento voltar a visitar, e apesar de não ter muitos amigos, eu era bem feliz com os que eu tinha, apesar de não ter sobrado nenhum hoje em dia em meu ciclo de amizades. Ai você vai crescendo e o dinheiro vai fazendo parte da sua vida, ti ensinam que você tem que ganhar a sua mesada, controlar quanto você ganha e quanto você gasta, ter que juntar pra conquistar, e é ai que começa a corromper o ser humano em sua grande maioria. Eu nunca recebi mesada, aquela quantia exata que ganhamos sempre em quanto tiramos notas boas, eu simplesmente pedia as coisas e recebia quando merecia, ou não, as vezes com mais ou menos frequencia, apesar de nunca ser um grande pedinte de presentes. Com a separação dos meus pais, e muitas brigas pessoais e judiciais, jogos de interesses e necessidades, rancor e amor misturados com quantias de dinheiro que eram ou não merecidas por ambas as partes, passei a “perder” tudo aquilo que sempre tive quando novinho, fui começando a viver com cada vez menos, mais nunca me faltou nada. Infelizmente eu nunca dei atenção a escola como ela merecia, não por que eu tinha que estudar, até por que eu tenho fortes argumentos pra provar por A + B que o sistema de ensino brasileiro é totalmente falho na sua raiz e não na sua eficiência, fico triste de não ter dado a importância que a escola merecia, pois todo e qualquer ensinamento enriquece o homem, e se torna uma ferramenta valiosa para sobreviver em um mundo tão feroz. Sofri muita discriminação na escola por curtir um estilo de música, mais isso fez com que os verdadeiros se aproximassem de mim sempre, e aprendi a ser forte nas minhas opiniões e lutar contra o mundo que teimava em me mostrar que eu tinha que seguir um padrão porem eu era mais teimoso e mostrava que eu era LIVRE pra ser quem eu quisesse. Isso fez com que eu sofresse conseqüências, mais jamais me arrependo, pois me deu muitas outras alegrias. A partir dai, a idade foi vindo, algumas responsabilidades foram aumentando, o dinheiro passou a se fazer mais presente em minha vida, aos 15 anos de idade eu arrumei meu primeiro emprego, era em uma lan house, e quem não queria trabalhar em uma lan house em tempos onde poucos tinham internet em casa? Eu tinha os melhores computadores, internet de alta velocidade, milhares de jogos, e ainda era objeto de desejo das novinhas que tentavam me seduzir pra ganhar horas grátis rsrs. Eu virava as madrugadas de sábado pra domingo jogando com os amigos, disputando e treinando virtualmente pra ser o guerreiro que eu gostaria de ser na minha vida real, acho que esse é o sucesso dos jogos online. Aprendi muito com os jogos também, aprendi que a cooperação é a chave do sucesso em qualquer missão, pois as qualidades do próximo se somam as nossas, e juntos somos invencíveis. Porem quando completei 18 anos eu recebi toda aquela responsabilidade da qual eu não estava preparado, da qual comentei lá em cima lembram? Se não lembrarem não tem problema, eu escrevi pra porra mesmo. Pois bem, vou adiantar tudo, pois a partir de agora a história vai ser mais dinâmica. Disseram que o trabalho deveria ser a minha prioridade, porem eu tinha sonhos, eu sonhava me formar em geografia, mais não acreditaram nos meus sonhos, disseram que isso não traria DINHEIRO, e que eu tinha que trabalhar de dia e estudar a noite, pra ter DINHEIRO e pagar meus estudos, pois os estudos me traria mais DINHEIRO. Disseram o que eu tinha ou não que fazer, sem ligarem pro que eu pensavam, sentia ou sonhava, não de forma democrática debatendo qual a melhor solução, e sim de forma imperialista como um decreto. Nesse momento tudo começou a desandar, ou se acertar dependendo do ponto de vista, pois entrou em conflito com a minha personalidade, que não suporta autoritarismo, pois eu aprendi que na vida, não existe uma pirâmide hierárquica, onde existe alguem no topo e as pessoas dos andares de baixo devem olhar pra cima, eu sabia, que meu professor não podia mandar em mim, apenas pedir gentilmente para que eu cumprisse o que ele pedia, pois era o que eu precisava fazer naquele momento, não por que era o “certo”. Entrei em conflito, e fiz valer as minhas vontades, me deixaram de dar dinheiro, o que me obrigou a trabalhar e a parar de estudar, porem fui lutando, voltei a estudar, continuei trabalhando, mais desviei meu foco, conseguiram me tirar do que até então era o meu sonho, não consegui mais acompanhar os estudos devido ao cansaço e a rotina do SISTEMA, mais eu precisava segui-lo pra alcançar o meu objetivo maior A MINHA LIBERDADE. Trabalhei de técnico de informática, depois eu sai e fui trabalhar em um lava-rápido, lavava carros de segunda a sábado, e me interessei por fotografia até comprar uma camera velha e usada. Uma desilusão amorosa, diga-se de passagem o maior amor que já senti na vida fez com que eu tomasse rumos inimagináveis, me fez vir parar em São Paulo, pois eu não tinha mais o meu grande amor, o meu emprego, nem mais nada, porem eu tinha a minha liberdade. Vim pra SP, comecei uma nova vida, fiz novos amigos, fiz novos amores, não tão grandes, mais eterno em quanto durou. Desde então eu sou completamente livre, a fotografia me proporcionou colocar em prática os meus ideais, me faz ajudar o próximo, me faz ajudar o próximo a conquistar os seus sonhos, seja ele ser cantor, ou qualquer coisa que seja, faz com que eu faça as pessoas se sentirem bonitas e bem com elas mesmas, e isso não tem preço, apesar de eu ter que cobrar por elas para que eu possa continuar sendo livre, afinal vivemos em um mundo capitalista. PARTE 2 ( MINHA HISTÓRIA NA POLLO )
Todos esses meus ideais e sucessos profissionais me fizeram cair de para-quedas na Pollo, e de cara eu logo me dei bem com os meninos, pois eles estavam alí se divertindo tanto quanto eu. Lembro do primeiro show na Dellure a mais de 1 ano atrás, mo zueira, casa pequena, tinha tanto vapor de suor que eu mal conseguia fotografar, e tudo que pensávamos depois do show era “caralho que show foda”. Logo de cara me dei muito bem com Adriel, Tomim, Kalfani e toda equipe, pois alí ninguem tem maldade no coração, o objetivo de todos era sempre SE DIVERTIR, levar alegria para as pessoas que curtiam o seu som. Tudo foi tomando proporções maiores, compromissos de TV, passei a usar uniforme (pra ser mais profissional, até entendo, é uma forma de organizar melhor as coisas), passei a ter obrigações dentro da banda, normal, tudo precisava fluir pra não parar. O assédio foi aumentando, e com grandes poderes vem grandes responsabilidades, suas palavras passaram a ter um peso maior, pois qualquer peido poderia se tornar uma cagada. É a partir dai que tudo começa a perder um pouco a sua naturalidade, pois vem a obrigação e a necessidade de se emplacar sucessos seguintes, o que acontece com qualquer artista, e tudo tem que ser feito de forma metódica pra ser bem visto, bem avaliado, pois a opinião alheia passa a ser muito importante, e tudo que era uma brincadeira se torna uma coisa séria, a sua liberdade de poder fazer as coisas se perde, você acaba caindo no sistema e deixando de ser livre, por mais que seus ideais ainda estejam intactos eles são oprimidos, seu padrão de vida evolui, com isso vem os gastos e a necessidade de se ganhar dinheiro, se cria uma tensão no AR, pois qualquer escorregão vai ser mal visto pela “sociedade” e isso causa um impacto FINANCEIRO mais do que moral. Sem o tal dinheiro, o destino das pessoas mudam, pois a vida social está diretamente ligada ao status que as pessoas no dão, e que pra alguns é muito importante. Resumindo, transformaram um sonho em um sistema, todo o sentido e naturalidade de se estar alí se perdeu, tudo se torna frágil e suscetível ao fim. Talvez o fim seja um novo começo, talvez isso seja um ponto de vista meu, talvez seja uma viagem, mais é o que eu acredito. Em nossas viagens pelas estradas do brasil não existia imprensa, nem contratantes sedentos por dinheiro a fim de se dar bem com um grande fenômeno nacional, era apenas a companhia um do outro, rindo, zuando, implicando com a bobeira que o outro falava, nos maravilhando com as paisagens que nunca tínhamos visto, sentido a brisa fresca, o clima de cada lugar, vendo os inúmeros rostos diferentes, vendo lágrimas chorarem pelos olhos de pessoas que sonhavam em nos conhecer, sem termos feito nada pra isso, apenas sermos quem somos. Com tudo que vivemos em nossas vidas, sempre temos que tirar lições disso, e a lição que quero que vocês tenham com esse gigantesco texto pessoal é: CUIDADO com o mundo, não deixem que ele lhe tire a naturalidade e a liberdade de se viver e por mais que você viva em um sistema, você pode sobreviver a ele sem ser consumido/a. Eu vivo da minha arte, do meu trabalho, tenho a minha missão, procuro errar o mínimo possível, mais sei que o mais importante é não fazer mal a ninguem, sempre tentar ajudar o próximo a alcançar seus objetivos, pois eu espero sempre que apareça alguem que acredite nos meus sonhos e me ajude a sempre seguir em frente. Não julgue ninguem mesmo que naturalmente tiramos nossas próprias conclusões sobre tudo que vemos, se algo acontece é por que deve acontecer, pois está escrito assim, ou simplesmente por que o livre arbitrio de alguem decidiu que era o certo a se fazer, na vida na se cria e nada se perde, tudo se modifica. Fiquem em paz, obrigado pela paciência, desculpem os erros de português, eu nunca escrevi mais que uma folha de caderno na minha vida, e esse é de longe o maior e mais sincero texto que ja criei na vida. O tempo não para, a terra sempre gira, e por mais longa, fria e solitária que seja a noite o sol sempre vem ao amanhecer pra clarear seus horizontes e lhe mostrar que o fim de algo não passa de um novo começo. 

PARTE 1 ( MINHA VIDA )

Sabe a vida é uma coisa engraçada né, você simplesmente cai no mundo, passa sua infância inteira brincando e se divertindo e chega uma hora ou outra as pessoas resolvem ti cobrar coisas das quais você nunca foi ensinado a fazer simplesmente por que mudou do 17 pros 18 anos. Você passa todos os dias da sua vida de segunda a sexta frequentando a escola, aprendendo as mais complexas equações, as cadeias de formação quimica, como funciona o corpo humano, a história de nossos antepassados, até a história de algo que nem sabemos que existe aprendemos só por que algum loco um dia acreditou que era verdade. Porem a nossa escola nunca nos ensinou o verdadeiro sentido da vida. Aprendemos que temos que estudar até o terceiro ano do colegial, fazer vestibular, entrar pra uma faculdade boa, pra poder arrumar um bom emprego e ter um excelente salário, pra poder comprar muitas coisas, ter bastante conforto e uma casa muito grande. Assim como vocês e todas as outras pessoas eu cresci aprendendo essas coisas, porem todos temos as nossas vivências que faz com que nos deparemos com inúmeras situações que fazem de nós quem somos, em termos de maturidade, caráter e muitas coisas, e eu acabei vivendo muitas coisas muito cedo, e deixei de viver outras, porem as que vivi me fizeram ver, e amadurecer em certos aspectos muito antes das pessoas normais. Meu primeiro e último ídolo foi o Ayrton Senna, eu o admirava dentro e fora das pistas, e assiti a sua morte ao vivo pela TV, e acompanhei cada minuto do seu enterro, foi horrível, fez com que todas as minhas manhãs de domingo perdessem total sentido, era através dele que eu e meu pai acordávamos cedo pra ver a corrida, colocavamos o volume da TV no último pra ouvir o Galvão Bueno narrar e vermos ele fazer as belas ultrapassagens que só ele sabia fazer. Esse foi o primeiro ensinamento de que me recordo, pois eu perdi meu idolo, tive que arrumar um outro sentido pras minhas manhãs de domingo, e nunca mais acordei cedo pra tomar café com o meu pai e ver a corrida. Depois disso passei a viver problemas familiares internos, que de uma forma torta, me mostraram o certo e o errado, o que se deve ou não fazer com as pessoas que estão próximas a nós, morando em baixo de nossos tetos, e se dedicando dia a dia a nos fazer o bem, por mais que por hora não estivessem fazendo. Ai você começa a se apegar nas coisas menores, começa a se questionar sobre mil coisas, afinal tudo é muito novo, e é dai que vem o aprendizado. Apesar dos problemas que todas as familias tem, eu passei a infância que toda criança deveria passar, tinha os melhores brinquedos, viajava, fazia esportes, conheci paraísos incríveis que até hoje tento voltar a visitar, e apesar de não ter muitos amigos, eu era bem feliz com os que eu tinha, apesar de não ter sobrado nenhum hoje em dia em meu ciclo de amizades. Ai você vai crescendo e o dinheiro vai fazendo parte da sua vida, ti ensinam que você tem que ganhar a sua mesada, controlar quanto você ganha e quanto você gasta, ter que juntar pra conquistar, e é ai que começa a corromper o ser humano em sua grande maioria. Eu nunca recebi mesada, aquela quantia exata que ganhamos sempre em quanto tiramos notas boas, eu simplesmente pedia as coisas e recebia quando merecia, ou não, as vezes com mais ou menos frequencia, apesar de nunca ser um grande pedinte de presentes. Com a separação dos meus pais, e muitas brigas pessoais e judiciais, jogos de interesses e necessidades, rancor e amor misturados com quantias de dinheiro que eram ou não merecidas por ambas as partes, passei a “perder” tudo aquilo que sempre tive quando novinho, fui começando a viver com cada vez menos, mais nunca me faltou nada. Infelizmente eu nunca dei atenção a escola como ela merecia, não por que eu tinha que estudar, até por que eu tenho fortes argumentos pra provar por A + B que o sistema de ensino brasileiro é totalmente falho na sua raiz e não na sua eficiência, fico triste de não ter dado a importância que a escola merecia, pois todo e qualquer ensinamento enriquece o homem, e se torna uma ferramenta valiosa para sobreviver em um mundo tão feroz. Sofri muita discriminação na escola por curtir um estilo de música, mais isso fez com que os verdadeiros se aproximassem de mim sempre, e aprendi a ser forte nas minhas opiniões e lutar contra o mundo que teimava em me mostrar que eu tinha que seguir um padrão porem eu era mais teimoso e mostrava que eu era LIVRE pra ser quem eu quisesse. Isso fez com que eu sofresse conseqüências, mais jamais me arrependo, pois me deu muitas outras alegrias. A partir dai, a idade foi vindo, algumas responsabilidades foram aumentando, o dinheiro passou a se fazer mais presente em minha vida, aos 15 anos de idade eu arrumei meu primeiro emprego, era em uma lan house, e quem não queria trabalhar em uma lan house em tempos onde poucos tinham internet em casa? Eu tinha os melhores computadores, internet de alta velocidade, milhares de jogos, e ainda era objeto de desejo das novinhas que tentavam me seduzir pra ganhar horas grátis rsrs. Eu virava as madrugadas de sábado pra domingo jogando com os amigos, disputando e treinando virtualmente pra ser o guerreiro que eu gostaria de ser na minha vida real, acho que esse é o sucesso dos jogos online. Aprendi muito com os jogos também, aprendi que a cooperação é a chave do sucesso em qualquer missão, pois as qualidades do próximo se somam as nossas, e juntos somos invencíveis. Porem quando completei 18 anos eu recebi toda aquela responsabilidade da qual eu não estava preparado, da qual comentei lá em cima lembram? Se não lembrarem não tem problema, eu escrevi pra porra mesmo. Pois bem, vou adiantar tudo, pois a partir de agora a história vai ser mais dinâmica. Disseram que o trabalho deveria ser a minha prioridade, porem eu tinha sonhos, eu sonhava me formar em geografia, mais não acreditaram nos meus sonhos, disseram que isso não traria DINHEIRO, e que eu tinha que trabalhar de dia e estudar a noite, pra ter DINHEIRO e pagar meus estudos, pois os estudos me traria mais DINHEIRO. Disseram o que eu tinha ou não que fazer, sem ligarem pro que eu pensavam, sentia ou sonhava, não de forma democrática debatendo qual a melhor solução, e sim de forma imperialista como um decreto. Nesse momento tudo começou a desandar, ou se acertar dependendo do ponto de vista, pois entrou em conflito com a minha personalidade, que não suporta autoritarismo, pois eu aprendi que na vida, não existe uma pirâmide hierárquica, onde existe alguem no topo e as pessoas dos andares de baixo devem olhar pra cima, eu sabia, que meu professor não podia mandar em mim, apenas pedir gentilmente para que eu cumprisse o que ele pedia, pois era o que eu precisava fazer naquele momento, não por que era o “certo”. Entrei em conflito, e fiz valer as minhas vontades, me deixaram de dar dinheiro, o que me obrigou a trabalhar e a parar de estudar, porem fui lutando, voltei a estudar, continuei trabalhando, mais desviei meu foco, conseguiram me tirar do que até então era o meu sonho, não consegui mais acompanhar os estudos devido ao cansaço e a rotina do SISTEMA, mais eu precisava segui-lo pra alcançar o meu objetivo maior A MINHA LIBERDADE. Trabalhei de técnico de informática, depois eu sai e fui trabalhar em um lava-rápido, lavava carros de segunda a sábado, e me interessei por fotografia até comprar uma camera velha e usada. Uma desilusão amorosa, diga-se de passagem o maior amor que já senti na vida fez com que eu tomasse rumos inimagináveis, me fez vir parar em São Paulo, pois eu não tinha mais o meu grande amor, o meu emprego, nem mais nada, porem eu tinha a minha liberdade. Vim pra SP, comecei uma nova vida, fiz novos amigos, fiz novos amores, não tão grandes, mais eterno em quanto durou. Desde então eu sou completamente livre, a fotografia me proporcionou colocar em prática os meus ideais, me faz ajudar o próximo, me faz ajudar o próximo a conquistar os seus sonhos, seja ele ser cantor, ou qualquer coisa que seja, faz com que eu faça as pessoas se sentirem bonitas e bem com elas mesmas, e isso não tem preço, apesar de eu ter que cobrar por elas para que eu possa continuar sendo livre, afinal vivemos em um mundo capitalista.

PARTE 2 ( MINHA HISTÓRIA NA POLLO )

Todos esses meus ideais e sucessos profissionais me fizeram cair de para-quedas na Pollo, e de cara eu logo me dei bem com os meninos, pois eles estavam alí se divertindo tanto quanto eu. Lembro do primeiro show na Dellure a mais de 1 ano atrás, mo zueira, casa pequena, tinha tanto vapor de suor que eu mal conseguia fotografar, e tudo que pensávamos depois do show era “caralho que show foda”. Logo de cara me dei muito bem com Adriel, Tomim, Kalfani e toda equipe, pois alí ninguem tem maldade no coração, o objetivo de todos era sempre SE DIVERTIR, levar alegria para as pessoas que curtiam o seu som. Tudo foi tomando proporções maiores, compromissos de TV, passei a usar uniforme (pra ser mais profissional, até entendo, é uma forma de organizar melhor as coisas), passei a ter obrigações dentro da banda, normal, tudo precisava fluir pra não parar. O assédio foi aumentando, e com grandes poderes vem grandes responsabilidades, suas palavras passaram a ter um peso maior, pois qualquer peido poderia se tornar uma cagada. É a partir dai que tudo começa a perder um pouco a sua naturalidade, pois vem a obrigação e a necessidade de se emplacar sucessos seguintes, o que acontece com qualquer artista, e tudo tem que ser feito de forma metódica pra ser bem visto, bem avaliado, pois a opinião alheia passa a ser muito importante, e tudo que era uma brincadeira se torna uma coisa séria, a sua liberdade de poder fazer as coisas se perde, você acaba caindo no sistema e deixando de ser livre, por mais que seus ideais ainda estejam intactos eles são oprimidos, seu padrão de vida evolui, com isso vem os gastos e a necessidade de se ganhar dinheiro, se cria uma tensão no AR, pois qualquer escorregão vai ser mal visto pela “sociedade” e isso causa um impacto FINANCEIRO mais do que moral. Sem o tal dinheiro, o destino das pessoas mudam, pois a vida social está diretamente ligada ao status que as pessoas no dão, e que pra alguns é muito importante. 

Resumindo, transformaram um sonho em um sistema, todo o sentido e naturalidade de se estar alí se perdeu, tudo se torna frágil e suscetível ao fim. Talvez o fim seja um novo começo, talvez isso seja um ponto de vista meu, talvez seja uma viagem, mais é o que eu acredito. 

Em nossas viagens pelas estradas do brasil não existia imprensa, nem contratantes sedentos por dinheiro a fim de se dar bem com um grande fenômeno nacional, era apenas a companhia um do outro, rindo, zuando, implicando com a bobeira que o outro falava, nos maravilhando com as paisagens que nunca tínhamos visto, sentido a brisa fresca, o clima de cada lugar, vendo os inúmeros rostos diferentes, vendo lágrimas chorarem pelos olhos de pessoas que sonhavam em nos conhecer, sem termos feito nada pra isso, apenas sermos quem somos. 

Com tudo que vivemos em nossas vidas, sempre temos que tirar lições disso, e a lição que quero que vocês tenham com esse gigantesco texto pessoal é: CUIDADO com o mundo, não deixem que ele lhe tire a naturalidade e a liberdade de se viver e por mais que você viva em um sistema, você pode sobreviver a ele sem ser consumido/a. Eu vivo da minha arte, do meu trabalho, tenho a minha missão, procuro errar o mínimo possível, mais sei que o mais importante é não fazer mal a ninguem, sempre tentar ajudar o próximo a alcançar seus objetivos, pois eu espero sempre que apareça alguem que acredite nos meus sonhos e me ajude a sempre seguir em frente. Não julgue ninguem mesmo que naturalmente tiramos nossas próprias conclusões sobre tudo que vemos, se algo acontece é por que deve acontecer, pois está escrito assim, ou simplesmente por que o livre arbitrio de alguem decidiu que era o certo a se fazer, na vida na se cria e nada se perde, tudo se modifica. 

Fiquem em paz, obrigado pela paciência, desculpem os erros de português, eu nunca escrevi mais que uma folha de caderno na minha vida, e esse é de longe o maior e mais sincero texto que ja criei na vida. O tempo não para, a terra sempre gira, e por mais longa, fria e solitária que seja a noite o sol sempre vem ao amanhecer pra clarear seus horizontes e lhe mostrar que o fim de algo não passa de um novo começo. 

<p>Sempre que uma lagrima escorre eu dou uma risada e penso; É vida, não sei o que você ta aprontando pra mim não, mais não vai me derrubar!</p> <p>Sou invencível, posso me Fuder, posso perder todos que eu amo, podem por maior e mais gelada montanha na minha frente, mais nada no mundo é mais perigoso do que um Homem que não tem medo de NADA.

>
"Senti saudades resolvi te escreverEspero que esta carta te encontre numa legal, com saúde harmonia e talEu tô por aqui na fé na paz, na correria adiantos e maisQuase dois anos que a gente não se vê, vira e mexe penso em vocêMe lembro das festas que a gente fazia, saía às dez da noite e só voltava no outro diaQue barato só alegriaLembra? Qualquer lugar a gente ía&#8221; 

"Senti saudades resolvi te escrever
Espero que esta carta te encontre numa legal, com saúde harmonia e tal
Eu tô por aqui na fé na paz, na correria adiantos e mais
Quase dois anos que a gente não se vê, vira e mexe penso em você
Me lembro das festas que a gente fazia, saía às dez da noite e só voltava no outro dia
Que barato só alegria
Lembra? Qualquer lugar a gente ía” 

Meu corpo é um relato de tudo que eu vivo&#8230;

Meu corpo é um relato de tudo que eu vivo…

Navegar é preciso, viver não é preciso.

Navegar é preciso, viver não é preciso.

Tattoo Day com @matheuszaroni  (at True Grit Tattoo Parlour)

Tattoo Day com @matheuszaroni (at True Grit Tattoo Parlour)

Pedras no caminho sempre irão existir, ela pode ser do tamanho de uma montanha, mais vou passar por cima dela sempre, e continuarei seguindo. Mesmo que por alguns momentos o sorriso se vá e algumas lagrimas venham fazer uma triste visita, a felicidade sempre vai ser o destino que me aguarda no final da caminhada, nem que ela seja tão breve como dizer &#8220;eu consegui&#8221; eu tenho a certeza que nesse momento, vira um sorriso e tudo terá valido a pena.

Pedras no caminho sempre irão existir, ela pode ser do tamanho de uma montanha, mais vou passar por cima dela sempre, e continuarei seguindo. Mesmo que por alguns momentos o sorriso se vá e algumas lagrimas venham fazer uma triste visita, a felicidade sempre vai ser o destino que me aguarda no final da caminhada, nem que ela seja tão breve como dizer “eu consegui” eu tenho a certeza que nesse momento, vira um sorriso e tudo terá valido a pena.

beardstofuck:

oh sweet baby g’sus! *O*


A vida é tão simples, porque complicamos sempre? Basta fazer Oq se gosta e ter quem se gosta do lado.

beardstofuck:

oh sweet baby g’sus! *O*

A vida é tão simples, porque complicamos sempre? Basta fazer Oq se gosta e ter quem se gosta do lado.

Amor DE VERDADE só se sente uma vez, para aqueles que não podem estar com quem se ama, só resta vagar todos os dias em uma terra gelada e sombria&#8230; 

Amor DE VERDADE só se sente uma vez, para aqueles que não podem estar com quem se ama, só resta vagar todos os dias em uma terra gelada e sombria… 

No meu tempo, um menino romântico ficava vendo a menina que ele gostava de longe, ia chegando perto de pouco em pouco, ficava pensando em alguma coisa pra falar com ela na hora do intervalo, ficava nervoso porque ela estava perto, escrevia cartinhas anônimas e deixava na mochila dela quando ela não estava olhando… hoje em dia existe isso ainda? Uma demonstração sincera de sentimento… 

Talves exista… porque o menino cresceu, mais a sinceridade não se perdeu… ti olho de longe vendo suas fotos no facebook todos os dias, vou chegando perto dando um oi aqui, uma sms ali, fico pensando algo pra falar que seja interessante, fiquei tão nervoso quando ti vi que nem sabia oque fazia direito, deixo mensagens anônimas pra ver se você nota…

E aqui estou eu, escrevendo uma cartinha de “amor”, super moderna, descolada, pouco original, mais super sincera, porque o menino bobo se tornou um homem idiota, e esse é o jeito romântico dele dizer que ti adora.